Inscrições para concurso que escolherá projeto do memorial às vítimas da Kiss acabam nesta segunda-feira


Publicado em 19/03

Podem participar arquitetos de todo o país. No memorial, será construído um espaço para abrigar a memória das vítimas da tragédia, que completou cinco anos em janeiro de 2018.

 
 

Por Maurício Rebellato, RBS TV

Fachada da Boate Kiss ganhou nova pintura em homenagens aos cinco anos da tragédia (Foto: Flávio da Silva/AVTSM/Divulgação)

As inscrições para o concurso nacional para escolher o projeto do memorial às vítimas da tragédia na boate Kiss, em Santa Maria, terminam nesta segunda-feira (19). Arquitetos de todo o país podem participar. O projeto escolhido será conhecido no dia 10 de abril.

O memorial será construído no local onde funcionava a Boate Kiss, que foi desapropriado pela prefeitura da cidade e será demolido para receber a obra. De acordo com o Instituto dos Arquitetos do Brasil, que coordena o concurso, o espaço servirá para abrigar a memória das vítimas.

O concurso é custeado pela campanha de financiamento coletivo, promovida pela Associação das Vítimas da Tragédia de Santa Maria (AVTSM), que arrecadou R$ 250 mil em doações.

O número de projetos inscritos até agora não foi divulgado, mas o Instituto informa que praticamente todos os estados estão representados, e que o Rio Grande do Sul lidera o ranking.

 

O caso da Kiss

 

A tragédia ocorreu na madrugada de 27 de janeiro de 2013. O fogo teve início durante a apresentação da banda Gurizada Fandangueira, que fez uso de artefatos pirotécnicos no palco durante um show na festa universitária realizada naquela madrugada. Quatro réus foram responsabilizados, e respondem por 242 homicídios e 636 tentativas.

As chamas no teto se alastraram rapidamente devido ao material inflamável usado como isolamento acústico, que produziu fumaça preta e tóxica. A boate estava superlotada e não havia saída de emergência.

Testemunhas relataram ainda que a Kiss não possuía sinalização interna e que o local ficou às escuras logo que o fogo começou, o que dificultou a saída do público e fez com que muitos frequentadores acabassem no banheiro, onde morreram asfixiados.

Os sócios da casa noturna Elissandro Callegaro Spohr, o Kiko, e Mauro Londero Hoffmann, além dos integrantes da banda Gurizada Fandangueira Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Augusto Bonilha Leão aguardam o julgamento em liberdade.

Fonte G1