Ijuí prepara a 1ª Conferência Municipal de Saúde da Mulher


Publicado em 18/04

Programação, que terá lugar no Salão Evangélico, será realizada no dia 17 de maio durante todo o dia

Fonte: Prefeitura Municipal de Ijuí

Falar de políticas públicas para as mulheres é falar de garantia de direitos, é falar principalmente, no que diz respeito ao acesso aos serviços de saúde oferecidos pela rede pública municipal. Por isso, o Brasil vem realizando as conferências de Saúde das Mulheres, com o objetivo de debater e construir essas políticas para que as mesmas alcancem o maior número possível de brasileiras. E, neste ano, Ijuí realizará a sua primeira Conferência. A programação com data marcada para 17 de maio de 2017 no Salão da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil e atividades das 8h às 17h – intervalo de almoço das 11h30 às 13h30 – está sendo organizada pelo Conselho Municipal de Saúde, Secretaria de Saúde e Coordenadoria da Municipal da Mulher, entre outros órgãos e/ou serviços do Poder Executivo Municipal.

Na tarde de ontem foi realizada a segunda reunião para tratar da organização do evento, cujo tema central será: “Saúde das mulheres: Desafios para a integralidade com equidade”, a conferência terá como objetivo propor diretrizes para a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres, tendo como eixo principal a Implementação da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres, contemplando a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres e as políticas de equidade: da população Negra (racismo, desigualdades étnico-raciais e racismo institucional), da População LGBT (discriminação por orientação sexual e identidade de gênero/preconceito e estigma social), da População em situação de Rua (reconhecimento dessas pessoas como cidadãos de direitos), da População do Campo, da Floresta e das Águas (redução de riscos decorrentes dos processos de trabalho e das tecnologias agrícolas).

A Conferência tem ainda como público-alvo os conselhos municipais de saúde, gestores, entidades de classe, movimentos sociais e instituições voltadas à saúde das mulheres para participarem do processo conferencial.

A partir de agora, o grupo de trabalho está definindo a estratégia de mobilização da comunidade e painelistas, bem como a elaboração do regimento interno que é o documento que regulamenta todo o processo da conferência. Além das propostas a serem construídas e aprovadas pela assembleia, a Conferência também escolhera os delegados que terão a tarefa de defendê-las nos eventos a serem realizados em âmbito estadual e federal.