Palestra “Abelhas e Polinização: Perda de Biodiversidade no RS tem novo local


Publicado em 18/04

Mudança para o Salão de Atos da Unijuí se deve a grande procura. Mas vagas continuam limitadas

As pessoas interessadas em participar da Palestra “Abelhas e Polinização: Perda de Biodiversidade no RS” devem fazer o mais rapidamente possível a inscrição. O alerta é da organização do evento, tendo em vista a grande procura. Para se inscrever basta preencher formulários on-line disponíveis no endereço: https://goo.gl/forms/aMbgvP4R63Sl0cl12


A palestra: “Abelhas e Polinização: Perda de Biodiversidade no RS” será realizada no dia 26 de abril, às 19h30, no Salão de Atos da Unijuí. Mas de acordo com a bióloga do município de Ijuí, Ana Paula Noronha, as vagas continuam limitadas.  
De acordo com Ana Paula, o  Poder Executivo de Ijuí, através da Secretaria de Meio Ambiente (SMMA), em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, por meio da Unidade Embrapa Clima Temperado (Pelotas – RS), e demais instituições copromotoras, apoiadoras e patrocinadoras estão construindo atividades voltadas para a reflexão, debate e desenvolvimento de estratégias de valorização e conservação de espécies de abelhas polinizadoras nativas do RS.  “O processo de polinização é um serviço ecossistêmico fundamental para a reprodução de diversas espécies vegetais e a polinização feita pelas abelhas tem relação direta com a produção de 75% dos sistemas de cultivos do mundo, responsáveis por produzir especialmente frutos e sementes que integram a alimentação humana”, explica a bióloga. 
Mas, de acordo com Ana Paula, esses serviços ambientais estão sendo comprometidos em função do desaparecimento de diversas colônias de abelhas em todo mundo. “E, isso traz prejuízos não só para a natureza, como também meliponicultores, apicultores e agricultores, em função da redução significativa nos índices de produção de alimentos”, completa.


Ainda segundo Ana Paula, a  região Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul também vem sofrendo a perda de colônias de abelhas da espécie Apis mellifera, bem como de espécies nativas do RS, de abelhas sem ferrão (Meliponíneos), conhecidas como Jataí, Mirim, Tubuna, entre outras. "A morte destes insetos tem sido objeto de pesquisas que indicam diversos fatores como causadores deste evento, como práticas agropecuárias inadequadas (agrotóxicos, desmatamento, etc.), uso e ocupação desordenada do espaço rural e urbano”, aponta.


Este conjunto de fatores, de acordo com a bióloga,  está fragilizando, entre outros aspectos, a alimentação dos animais seja por intoxicação e/ou ausência de alimentos adequados, fato que vem comprometendo a qualidade da saúde dos animais, tornando-os mais suscetíveis a contaminações e doenças que vêm levando à morte de colmeias inteiras.


É com o objetivo de reverter esse cenário que a Secretaria de Meio Ambiente de Ijuí e a Embrapa Clima Temperado estão construindo, juntamente com os demais parceiros, ações com o objetivo de promover a reflexão, debate e a construção de novas alternativas para a conservação das abelhas e a produção de alimentos de forma racional e sustentável, junto com a comunidade local (rural e urbana). E uma das ações é justamente a realização do evento “Desafio da Conservação de Abelhas no RS e a produção de alimentos”, que será realizado ao longo do dia 26 de abril de 2017(quarta-feira). Neste dia serão realizadas duas atividades: um Dia de Campo para agentes multiplicadores e uma Palestra aberta a toda a comunidade.


O Dia de Campo “Meliponíneos – boas práticas na criação de abelhas nativas sem ferrão” será realizado no Meliponário, mantido pelo Grupo Bandeirantes do Verde, localizado no Colégio Estadual Modelo em Ijuí. As 25 vagas da atividade estão sendo ofertadas para agentes multiplicadores indicados pelas entidades copromotoras e apoiadoras do evento, tais como agricultores, técnicos, professores, estudantes, meliponicultores –profissionais ou