Reconstrução de São Francisco de Paula vai levar 6 meses, diz prefeitura


Publicado em 14/03

Moradores de área atingida voltaram para casa e conferiram estragos.
Devido a temporal mais de 400 casas foram atingidas e 40 ficaram destruídas.

Do G1 RS

Moradores de São Francisco de Paula, na Serra do Rio Grande do Sul, já começaram a reconstruir a cidade atingida por um temporal no último domingo (12). Conforme a prefeitura, o serviço deve levar seis meses. Ao todo,  400 casas foram atingidas, 40 ficaram destruídas e mais de 1,6 mil tiveram que sair de casa. Em meio ao temporal, um homem morreu e cerca de 70 ficaram feridos

A professora Rose dos Reis voltou para casa na segunda-feira (13) para tentar encontrar documentos pessoais entre a pilha de entulhos que se transformou a moradia da família. 

O vizinho dela, o caseiro Roque Borges também mora no Loteamento São Miguel e ainda mostra assustado os estragos causados pelo temporal. O assoalho da casa, construída há um ano, voou mais de 40 metros. A mulher dele dormia e a cama foi arremessada para longe. Ela foi socorrida por vizinhos e está bem.

O casal Franciele e Everton mora no Loteamento Pedra Branca e, devido aos estragos, vão ter que procurar outro lugar para morar. A casa está de pé, mas a estrutura não aguenta outra reforma. No pátio da residência, a caçamba virada mostra a força do vento.

Além de São Francisco de Paula, outra cidade atingida pelo temporal foi Santa Maria, na Região Central do estado. Veja como ajudar os moradores dessas duas cidades.

Ao todo 400 casas foram afetadas e 40 foram destruídas em São Francisco de Paula (Foto: RBS TV/Reprodução)

Ao todo 400 casas foram afetadas e 40 foram destruídas em São Francisco de Paula (Foto: RBS TV/Reprodução)

Prefeito assina situação de emergência
Na segunda-feira, o prefeito Marcos Aguzzoli encaminhou à Defesa Civil o decreto de situação de emergência. A expectativa é que a solicitação seja reconhecida em breve. "O vice-governador disse que com certeza será homologada, não tem como não ser. A gente espera que amanhã [terça, dia 14] mesmo seja reconhecido", afirmou ao G1.

O governador em exercício, José Paulo Cairoli, esteve na cidade e sobrevoou o local para avaliar os danos. A Defesa Civil informou que está auxiliando na confecção dos laudos e demais documentos. A intenção é realizar o processo com urgência, para que a cidade consiga se recuperar o quanto antes.

Ao G1, o prefeito explicou que a cidade não poderia se enquadrar em estado de calamidade pública. Só poderia se fosse registrado mais de um óbito. Por enquanto, a morte de um jovem de 24 anos foi confirmada.

Pelo menos seis bairros foram atingidos pelo temporal. Conforme relato dos moradores, a chuva e o vento duraram poucos minutos, mas os momentos foram de terror.

Morador de São Francisco de Paula relata susto durante temporal neste domingo (12) (Foto: Paulo Gomes/Arquivo pessoal)

Morador de São Francisco de Paula relata susto durante temporal neste domingo (12) (Foto: Paulo Gomes/Arquivo pessoal)

Cidade teve 'tempestade severa', diz meteorologista
O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) analisa imagens de satélites, fotografias e ainda depoimentos de moradores de São Francisco de Paula, na serra gaúcha, para determinar qual fenômeno atingiu a cidade de pouco mais de 21,5 mil habitantes.

"Ainda estamos estudando o fenômeno. Não temos a conclusão, mas uma coisa é certa: houve uma tempestade severa provocada por uma supercélula que pode acarretar tanto um tornado quanto uma microexplosão", explica o meteorologista Rogério Rezende.

A microexplosão é comparada pelo profissional com a queda de uma bexiga de água no chão. "É um fenômeno de dentro para fora. Uma implosão de uma nuvem", diz.

"Informações que nos chegaram é que ocorreu destruição por tornado e por microexplosão. O tornado faz destruição em linha reta e é o que verificamos em algumas imagens. Entretanto, há áreas em que as árvores foram partidas ao meio, mais característico de microexplosão", completa.

Rezende explica que a estação meteorológica mais próxima fica em Canela, distante 24,6 quilômetros, o que dificulta analisar o que teria acontecido. Metereologistas do Inmet já tiveram acesso a imagens de satélite e devem emitir até esta terça-feira (14) uma nota técnica anunciando o que pode ter ocorrido na cidade.

saiba mais