Escola de Porto Alegre é arrombada 14 vezes desde o começo do ano


Publicado em 04/03

Brigada Militar prometeu reforçar o policiamento na área.
No último arrombamento, um computador da escola foi levado.

Giulia PerachiDa RBS TV

 

Sala foi vandalizada com tinta durante um dos arrombamentos (Foto: Giulia Perachi/RBS TV)Sala foi vandalizada com tinta durante um dos arrombamentos (Foto: Giulia Perachi/RBS TV)

Quando os professores chegaram ao Colégio Estadual Engenheiro Ildo Meneghetti, na manhã desta sexta-feira (3), encontraram provas, trabalhos e material de aula revirados. Apenas em 2017, foram registrados 14 arrombamentos na instituição de ensino localizada no bairro Restinga, Zona Sul de Porto Alegre.

No último arrombamento, ocorrido nesta madrugada, os criminosos invadiram a secretaria e levaram um computador. A Brigada Militar havia realizado uma ronda na escola uma hora antes local ter sido invadido.

Que vontade que tu tens de trabalhar? A vontade que
eu tenho é de chorar."

Itamira Jacob, professora

A escola acumula prejuízos com os arrombamentos quase rotineiros. As lâmpadas e os ventiladores foram levados da biblioteca, e uma televisão foi destruída após os criminosos não conseguirem levar o aparelho.

"Que vontade que tu tens de trabalhar? A vontade que eu tenho é de chorar. São trabalhos... tudo... trabalhos, livros da gente, programas de aulas, documentos que a gente deixa aqui, porque os armários são todos chaveados. Uma decepção geral, um desânimo. E tu vai pedir socorro para quem? A gente já não sabe mais o que fazer", lamenta a professora Itamira Jacob.

Além disso, uma sala foi suja com tintas, e 40kg de carne, da merenda das crianças, foram furtados.

"É um absurdo. Porque muitas vezes as criancas vêm, o pai tá trabalhando, a mãe tá trabalhando, e não conseguem fazer a alimentação em casa. Eles vêm, eles comem, a gente vê eles comendo com vontade. E só em saber que a gente não vai ter como fazer isso, que a gente não tem como alimentar eles, a gente fica muito triste com essa situação", desabafa a merendeira Fabiana da Costa.

Armários foram revirados na escola arrombada (Foto: Reprodução/RBS TV)Armários foram revirados na escola arrombada (Foto: Reprodução/RBS TV)

Os fios das câmeras de segurança foram cortados para evitar a identificação dos criminosos. A Brigada Militar prometeu reforçar o policiamento.

"Está sendo intesificado com os recursos que nós temos, nós estamos sendo apoiados com a Operação Avante da Brigada. O patrulhamento sempre é necessario. Mas há a necessidade de indentificar esses criminsoos para que seja responsabilizado o responsável, e não a comunidade escolar, que é o que está acontecendo", diz o comandante do 21° Batalhão de Polícia Militar.

Apesar de toda a destruição ocorrida desde o começo do ano, a direção da escola manteve a previsão do início das aulas para mais de 1 mil alunosm na segunda-feira (6), data que arca oficialmente o começo do ano letivo.

"Nós vamos receber a comunidade segunda-feira com as condições que a gente tem, as aulas estão mantidas. Talvez um pouco precário, talvez não. Com certeza, mas a nossa intenção é agregar nosso aluno aqui dentro, trazer os pais e ver como é que a gente pode resolver essa situação", salienta a diretora Carla Guimarães.